Thursday, September 6, 2007

Fome = coma Aveia

Hoje me bateu uma fome enorme no meio do dia... Gracas a Deus ninguem deixou doce na cozinha aqui do trabalho :) Lembrei que guardo aveia pra momentos como esse. Preciso caminhar e nao quero caminhar com fome depois do trabalho. A Quaker tem um cereal que te ajuda a manter o peso (?) e esse que eu tenho aqui. Antes de comer, resolvi dar uma pesquisada nos beneficios da aveia e achei esse artigo interessante. No Brasil eu nao comia muita aveia mas quando mudei pra ca passei a comer mais, especialmente no inverno. Enjoy!

_Aveia_________
Descobrindo suas propriedades

Biscoitos, pães, mingaus, sopas, com frutas, iogurte ou mel... Além de participar em saborosas preparações culinárias, a aveia pode significar mais saúde no seu dia-a-dia. Vamos explorar as características deste cereal para melhor compreender suas propriedades nutricionais.

A aveia é uma gramínea, família de plantas caracterizadas pelo caule esguio que termina em pontas ramificadas que contém as flores, das quais se desenvolvem as sementes. No caso da aveia, as sementes possuem casca fortemente aderida. A planta adapta-se melhor em climas frios e úmidos, sendo que os primeiros cultivos parecem ter ocorrido no Norte da Europa, onde se constituiu como alimento básico, e na Ásia Central.

No Brasil, os estados de Rio Grande do Sul e Paraná são os responsáveis por grande parte da produção do grão, seguidos por Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Dados de 2004 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) situam a cultura de aveia em sétimo lugar em termos de quantidade produzida, precedida por soja, milho, arroz, trigo, algodão e sorgo.

Segundo o Laboratório de Ciência e Tecnologia de Cereais do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Santa Catarina, a aveia é cultivada com vários propósitos: para pastagens, obtenção dos grãos para alimentação humana e animal, produção de sementes, além de ter muito valor no sistema de rotação de culturas. Apesar de reconhecidos os seus benefícios à saúde humana, a produção mundial ainda é destinada majoritariamente para a alimentação animal (cerca de 78% do total produzido).

A estrutura do grão de aveia é semelhante à de outros cereais e possui três partes principais: pericarpo, endosperma e germe.

O pericarpo é um conjunto de camadas externas, que formam a “casca” propriamente dita do grão. Essa é a região mais rica em minerais (como cálcio, ferro e zinco), vitaminas do complexo B e também fibras.

O germe, como deduzimos pelo nome, é a parte que irá germinar. Nesta é elevado o teor de lipídios, protegidos por tocoferóis, substâncias com propriedade antioxidante, da família da vitamina E.

A fonte de energia que o grão utiliza para germinar (enquanto as folhas ainda não se formaram e, portanto, não é possível para a planta obter energia por fotossíntese) encontra-se no endosperma, na forma de amido. O endosperma também abriga a maior parte das proteínas do grão e também contém fibras.

Aveia e saúde – A aveia é um cereal, em geral, bastante valorizado por seu bom conteúdo protéico, calórico e de fibras. Investigações científicas relativamente recentes apontam que o consumo de aveia reduz os níveis de colesterol e os riscos de doenças coronárias. Este efeito é atribuído principalmente à beta-glucana, um tipo de fibra solúvel presente em grande quantidade na aveia, e também num outro cereal, a cevada.

O mecanismo proposto para este efeito benéfico é o seguinte: a beta-glucana, assim como as fibras em geral, não é digerida pelas nossas enzimas e não é, portanto, absorvida. Permanecendo na luz intestinal, devido à sua solubilidade, incorpora bastante água em sua estrutura e forma um gel viscoso característico. Este gel interfere na absorção de nutrientes, como o colesterol e carboidratos.

A ação hipocolesterolêmica é fortemente apoiada por estudos científicos, que relacionam a ingestão da beta-glucana a uma efetiva diminuição da quantidade de colesterol total circulante no organismo e também da fração que circula nas LDLs (Lipoproteínas de Baixa Densidade), em indivíduos com hipercolesterolemia.

Além disso, relata-se uma diminuição da absorção de glicose e existem também evidências de que as beta-glucanas agem como protetores ao desenvolvimento de câncer de cólon.
O farelo de aveia é a porção que tem maior concentração desta fibra. Em segundo lugar vêm os flocos e por último a farinha. O órgão norte-americano FDA (Food and Drug Admistration) apóia a recomendação de consumo diário de 3g de beta-glucana de aveia, que equivalem a três colheres de sopa de farelo de aveia (40g) ou quatro da farinha de aveia (60g).

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), em 2005, reconheceu que abeta-glucana de aveia auxilia na redução da absorção de colesterol, mas alerta que seu consumo deve estar associado a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Se você gostou da idéia e pretende incluir este cereal na sua alimentação como mais um hábito saudável, preste atenção também ao valor calórico. A quantidade recomendada acima de farinha de aveia, por exemplo, equivale em energia a 1 ½ pão francês ou seis bolachas salgadas ou 6 colheres de sopa de arroz. Então, procure fazer substituições, reduzindo um pouco outras fontes de carboidratos ao longo do dia para incluir essa outra.

E mais um toque. Se você tem bebê em casa, não se esqueça da importância de oferecer o leite materno de forma exclusiva até os seis meses de idade, salvo se houver outra orientação por parte do médico ou nutricionista. Após esse tempo você pode começar a introduzir outros alimentos na alimentação do bebê, e poderá usar a aveia, se desejar.
Estagiária curricular em Marketing Nutricional pela
Universidade de São Paulo na Nutrociência Assessoria em Nutrologia.
_____________________________

0 comments: